Servidores

O que é um servidor dedicado?

O servidor do tipo dedicado é uma das formas de hospedagem mais robustas que existe. Ao contrário do VPS e do compartilhado, como o próprio nome diz, você tem um servidor (máquina física) exclusiva para o(s) seu(s) site(s). E o que isso quer dizer? Significa que você conta com um alto grau de independência e capacidade, uma vez que não divide espaço com mais ninguém. Em geral, o servidor dedicado surge como uma solução para sites que viram seu volume de tráfego crescer e já não podem mais repartir seus recursos com terceiros.

Vale lembrar que, assim como no VPS, o dedicado também atende sites e aplicações que necessitam de customizações especiais e que não estão disponíveis em uma hospedagem tradicional. Nesse caso, no entanto, o nível do uso do serviço tem que justificar a contratação de um dedicado, que em geral possui uma capacidade (e um custo) bem maior do que um VPS.

Complementando a analogia que fizemos do VPS em relação a um conjunto residencial, temos que o servidor dedicado seria, neste cenário, uma casa bem grande. Esta casa possui total independência, desde seu portão de acesso, que é privativo, até suas configurações internas.

Assim, o dedicado é o tipo de servidor recomendado para sites que exigem mais do que um VPS é capaz de fornecer – em geral, grandes volumes de tráfego e/ou alto consumo de recursos. Pode ser indicado, ainda, em situações de revenda de hospedagem ou para disponibilizar uma rede empresarial interna.

O que é um servidor VPS?

Um servidor do tipo VPS (Virtual Private Server, em português Servidor Virtual Privado) é considerado como a opção intermediária entre a hospedagem compartilhada e a dedicada. Isso porque ele possui mais recursos que um compartilhado e é financeiramente mais acessível que um dedicado. Na prática, o VPS é como um servidor dedicado no sentido virtual, com recursos e possibilidades de customização semelhantes, mas com menor capacidade, por ocupar somente parte de um servidor. O que o diferencia de um compartilhado é justamente a sua autonomia virtual, além do fato de ser dividido entre uma quantidade menor de usuários.

Fazendo uma analogia, podemos comparar o VPS com um conjunto residencial, onde cada casa possui a sua independência, mas também cumpre regras definidas para a área comum a todas as residências.

Em geral, o VPS é indicado para quem percebeu que o volume de tráfego do seu site já não cabe mais em uma hospedagem compartilhada, ou para aplicações que necessitam de customizações avançadas no ambiente de hospedagem. Através do acesso raiz (ou acesso root), o administrador do VPS pode fazer alterações nas configurações do servidor que não seriam permitidas em uma hospedagem de sites tradicional. Outros casos também podem ser incluídos aqui, como o uso do VPS como servidor de jogos, repositório de arquivos e qualquer outra situação que não se encaixe na hospedagem compartilhada.

Para saber se o VPS é o formato ideal para o seu negócio, sugerimos que você se pergunte: o número de acessos ao meu site está crescendo? Tenho enfrentado situações de lentidão? Meu site ou aplicação necessita de alguma configuração que não está disponível em um plano de hospedagem tradicional?

Se a sua resposta for positiva para, pelo menos, uma das perguntas acima, talvez seja a hora de pensar em um upgrade!

VPS x Dedicado: quem vence?

Geralmente uma coisa não custa mais caro que a outra à toa, você concorda? É como confrontar um carro popular a um carro de luxo, sabendo que ambos cumprem sua função de transporte, mas satisfazem necessidades de públicos diferentes.

Por isso, seria um pouco injusto comparar o VPS ao dedicado, considerando que são tipos de hospedagens indicados para situações distintas. A ideia é justamente mostrar que cada um deles tem a sua especificidade!

Confira 6 pontos importantes para saber qual deles, para você, é o vencedor desta batalha de gigantes:

1) Custo

Em termos de valor, fica claro que o VPS é o mais em conta: ele pode ser encontrado a partir de pouco mais de R$ 25,00/mês. Já o dedicado, é dificilmente encontrado por menos de R$ 250/mês. Isso se deve à autonomia e demais características exclusivas que só um dedicado pode oferecer. É uma boa diferença, não?

2) Configurações

Podemos dizer que tanto o dedicado quanto o VPS possuem uma grande liberdade de customização. Até onde se pode ir neste aspecto, dependerá da empresa que provê o serviço.

É interessante notar que o VPS pode ter sua capacidade aumentada de maneira simplificada, sem que seja necessário migração de servidor, o que não seria possível no dedicado. Essa característica se dá pelo fato do VPS ser uma máquina virtual, enquanto, no dedicado, estamos falando de uma máquina física, que possui uma configuração determinada pelo seu hardware.

Por outro lado, o servidor dedicado é o que possibilita o melhor desempenho de maneira geral, já que o servidor alugado é inteiramente seu.

3) Segurança

Podemos dizer que o nível de segurança é semelhante nestas duas modalidades de hospedagem. Dado que ambos possuem recursos semelhantes, diferenciando-se principalmente na capacidade de utilização, o aspecto segurança seguirá esta lógica e não temos como apontar um deles como mais ou menos seguro do que o outro.

Vale lembrar que, em um cenário não-gerenciado, ou seja, quando a empresa provedora do serviço não se responsabiliza pela manutenção e segurança do site, o aspecto segurança deverá receber atenção extra. O cliente, no papel de administrador do servidor, deverá tomar as providências necessárias para manter o seu servidor seguro e livre de ameaças e invasões. Isso vale tanto para o VPS como para o dedicado.

4) Recursos dedicados

Armazenamento, memória RAM, processamento e tráfego: de maneira geral, o dedicado será campeão nestes quesitos, uma vez que estamos falando de uma máquina exclusiva versus outra com recursos compartilhados. Mas essa máxima nem sempre é verdadeira, sendo possível encontrar VPSs com capacidades iguais ou superiores a alguns dedicados.

Portanto, cabe avaliar as necessidades técnicas do seu site versus o custo do serviço para escolher a opção mais adequada.

5) Conhecimento técnico

Neste quinto ponto, atentamos às melhores opções quando você não possui conhecimento técnico: as versões gerenciadas. Tanto o VPS quanto o Dedicado possuem (dependendo da empresa de hospedagem, é claro) versões pré-configuradas, onde há ainda suporte para outras questões relacionadas à administração do servidor.

Já as versões semi-gerenciadas exigem um alto grau de conhecimento em administração de servidores. Para saber mais sobre a disponibilidade destas versões, indicamos que você contate as próprias empresas de hospedagem.

6) Estabilidade

O compartilhamento de um servidor com outros usuários pode prejudicar o desempenho do seu site. Essa é uma desvantagem do VPS em relação ao servidor dedicado, ainda que o VPS seja uma forma de dedicação virtual. Mas vá com calma: isso não quer dizer que ele é instável, mas sim que está sujeito ao uso de recursos do servidor como um todo e, nesse caso, o servidor é compartilhado com outros usuários.

Por outro lado, contratar um dedicado torna você o único a habitar o servidor e também o único responsável por ele. Caso algum problema o derrube, seu site ficará offline e voltar à tona só dependerá de você (ou, no caso de um plano gerenciado, de você e da empresa de hospedagem).

Conclusão

Tanto o VPS quanto o servidor dedicado são ótimas opções de hospedagem. Ambos são conhecidos pelo poder de personalização, mas são marcados por diferenças cruciais que ditarão qual a melhor opção para você.

Em suma, as diferenças entre VPS e dedicado apontam principalmente no sentido da capacidade de recursos e da autonomia, refletindo diretamente nos custos de cada um.

É por isso que a cartada final para escolher a sua hospedagem está ligada diretamente ao orçamento que você possui para esta atividade e dos recursos dedicados que o seu site exige. Para tanto, o ideal é sempre elencar quais são as reais necessidades do seu site – sem esquecer dos 6 pontos citados acima! – e avaliar qual deles se encaixa melhor. Esta análise é indispensável, pois evita duas situações que ninguém gosta: gastos e migrações desnecessários.